Apontamentos para reflexão sobre o contexto da presença da psicologia no tema da defesa civil

Veja aqui o texto “Apontamentos para reflexão sobre o contexto da presença da psicologia no tema da defesa civil”, de Marcus Vinícius de Oliveira Silva.

Esta entrada foi publicada em Referências. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

2 respostas a Apontamentos para reflexão sobre o contexto da presença da psicologia no tema da defesa civil

  1. Felipe Moreira disse:

    Em minha cidade (Petrópolis, RJ), tivemos o episódio das chuvas no começo do ano. Como muitos, tentei buscar os canais para trabalhar como voluntário, mas ninguém sabia dizer onde deveria me encaminhar. Mesmo as doações tiveram problemas semelhantes e, como resultado, muitas famílias deixaram de ser atendidas.
    O tema, há muito tempo, vem sendo discutido em foruns e mesas-redondas das quais participo, de como não há um empenho maior na prevenção de catástrofes e, quando elas acontecem, ninguém sabe como ajudar, ou aqueles que sabem não encontram espaço.
    As autoridades, ao meu ver, se sentem ameaçadas por voluntários proverem cuidados e a ajuda que ELES deveriam oferecer, mas ao invés de criar uma parceria para mútuo apoio, ficam competindo numa disputa de egos, e quem paga o preço é a sociedade.
    Estou sempre à disposição da comunidade e, mesmo na escola onde trabalho, sou sempre procurado por pais e familiares em tempos de necessidade, e justamente a família de um aluno perdeu tudo, incluindo parentes, pelas chuvas, e se queixaram da falta de atendimento e atenção por meio dos veículos legais (SUS, Serviço Social e mesmo a própria prefeitura).

    Existe algum tipo de projeto em exercício que crie algum tipo de “plantão” de profissionais para atender à população nestes casos? Pois na minha cidade, ninguém sabe ou quer falar a respeito.

    • admin disse:

      Felipe,
      Existe uma rede de cuidados da psicologia em emergências e desastres na região serrana que tem procurado trabalhar junto aos profissionais de psicologia. Mas o CFP e os CRPs estão construindo um plano de contingência para a psicologia que será analisado por todo o sistema em Dezembro. Acho que com ele ficará mais fácil pensar em ações imediatas de apoio aos afetados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *